OS MEDICAMENTOS PARA RESFRIADOS E TOSSE
Resfriado
Cada ano milhões de pessoas em todo mundo tem um resfriado
comum, cujos sintomas são bem conhecidos: dor de garganta,
nariz congestionado, talvez um pouco de febre, dores no corpo e
algumas vezes, tosse irritante.
A maioria dos resfriados é de causa benigna, necessitando apenas
de muito líquido, descanso e, no máximo, um medicamento isento
de prescrição para diminuir os sintomas, o qual deve ser utilizado
com orientação do profissional farmacêutico.
Caso o resfriado persista por mais de três dias, o aconselhável é
procurar um médico para avaliação e indicação de um medica-
mento, para evitar o risco de uma complicação respiratória (ex.
faringite, bronquite, pneumonia, etc.)
TOSSE
A tosse é geralmente uma reação do organismo a irritações
causadas pela presença de secreções ou corpos estranhos, como
fumaça, poeira, bactérias e fungos, protegendo o sistema respi-
ratório.Assim, eliminá-la nem sempre é uma boa idéia, já que seu
objetivo é justamente o de liberar a secreção excedente.
O primeiro passo no manejo da tosse é prover o trato respi-
ratório de umidade adequada, tanto pelo aumento da ingestão
de líquidos (água) quanto pela umidificação do ar. Estes agentes
tornam o muco mais fluido.
De acordo com a causa, pode ser necessário o tratamento, que
geralmente tem como objetivo tratar da causa, e não da tosse em
si.
Cuidado com o uso
destes medicamentos
Descongestionantes nasais
(antihistamínicos e corticóides)
– uso contínuo pode agravar ou
prolongar o resfriado, irritar as
fossas nasais e até reações graves
como síndrome de cushing
(intoxicação por cortizona).
Reações mais graves em crianças.
Xaropes expectorantes
– atuam
irritando o revestimento do
estômago para expulsar o muco,
podendo causar náuseas e enjôos e
aumentar as secreções.
Xaropes mucolíticos
– podem causar
retenção de muco e agravar infecção
em casos de bronquites e pneumonia.
Xaropes associados (expectorantes e
mucolíticos)
– associações irracionais e
não devem ser utilizadas, podendo causar
reações adversas graves.
1...,16,17,18,19,20,21,22,23,24,25 27,28,29,30,31,32,33,34